segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Ye´s Sushi e a versão canadense do rodízio japa...

Há um questão de um mês, estive em uma viagem de trabalho no Canadá... O país impressiona pela sua estrutura bem desenvolvida, povo cordial, grandes highways e qualidade de vida ímpar... Mas o objetivo desse post definitivamente não é detalhar esse tempo passado na gringolândia, mas sim relatar uma experiência que pode ficar como dica para quem for visitar a cidade de Kitchner, que fica há mais ou menos 45min - 1h de Toronto e quiser matar vontade de comer iguarias japonesas.

Todos os dias que saía para o escritório da matriz da empresa, passava na frente de um restaurante com cara de uma rede de fast food e uma placa que dizia "all you can eat". Era o Ye´s Sushi, um restaurante japonês com duas unidades na cidade e uma fama nas críticas locais de "lugar bom bonito e barato para se comer comida japonesa".

Investigando um pouco mais logo pude associar o "all you can eat" como uma versão gringa do amado conceito de rodízio no Brasil, isto é, vcê paga um valor fechado X e pode comer à vontade churrasco, pizza, comida japonesa e por aí vai! E esse aparente "milagre de preço" ganha mais dinheiro com você porque além do custo fixo da refeição os extras (refris, bebidas em geral, sobremesas, cafés e pratos à la carte) são bem mais caros, equilibrando as contas dos estabelecimentos que oferecem esse tipo de sistema.

Mas vamos ao que interessa, a crítica sobre o local...

Eu fui em uma das unidades menores, que ficava em um downtown entre outras lojas, bancos e demais estabelecimentos comerciais. A outra unidade ficava numa região mais híbrida entre residências e estabelecimentos comerciais. Logo na entrada você já recebe um cardápio onde constam mais de 100 itens com variações e quantidades para que você possa escolher em um formulário que fica na mesa.

O atendimento é um tanto quanto complexo já que a casa estava cheia e pelo que fiquei sabendo ela é habitualmente cheia mesmo então o serviço não é o melhor dos itens da casa. O sistema ali é levantou, passam com um carrinho para recolher sua louça e logo mais outra pessoa é encaminhada para sua mesa, num sistema meio fast food ou praça de alimentação em final de semana.

Um outro aspecto importante para nós que não somos nativos é que as atendentes de origem oriental tem um inglês um pouco embaralhado o que pode dificultar a comunicação em alguns momentos. Um ponto positivo é que apesar da casa cheia, elas tentam ser atenciosas quando passam na sua mesa e isso inclui tentar explicar como podem o cardápio e o funcionamento da casa.

Falando em funcionamento da casa, fica aqui mais uma curiosidade: apesar de ser liberado comer tudo o que você conseguir de pratos quentes, frios e mais sobremesa o sistema de casa tem tempo máximo de permanência de 1h45 minutos, depois desse prazo você não pode mais pedir itens da listinha que recebeu.

Bom, comentários sobre o local realizados, vamos falar sobre a parte mais interessante, a comida propriamente dita! =)

Assim como alguns rodízios mais populares aqui no Brasil, o Ye´s não tem com a sofisticação ou a variedade de peixes como seu maior trunfo: a dominância do cardápio é praticamente do salmão e do crab (que conhecemos aqui no país como Kani). Os pratos quentes são simpáticos mas bem mais gordurosos do que o que temos na terra brasilis. Uma surpresa boa porém, foi uma varição que eles ofereciam do missô shiro chamada de spicy sour soup (sopa picante azeda). Confesso que fiquei meio receosa de pedir, mas foi uma grata surpresa quando chegou à minha mesa: era um caldo bem temperado, com vegetais picadinhos e um sabor muito bom! Foi um dos pratos top da minha visita.

Outra surpresa agradável foram as pequenas bowls de salada: kani desfiado e salmão defumado estavam frescas e deliciosamente fartas, foi uma grata surpresa já que o foco da casa não é bem esse... Mas para os que não dispensam uma saladinha, essa é uma ótima oportunidade de " diminuir a culpa calórica" dos demais itens do cardápio.


No momento da escolha dos sushis um pequeno deslize: alguns deles tinham uns números ao lado e eu não percebi e de repente chegou em minha mesa uma quantidade absurda de sushis. A atendente percebeu meu erro, perguntou quais eu queria e em que quantidade e logo mais minha porção voltou corrigida.

Os sushis estavam bons no geral. A apresentação deles é mais simplória do que estamos acostumados no Brasil mesmo em rodízios mais fast food como Flying Sushi, mas no balanço geral o prato era honesto. O arroz estava em um ponto OK e os sushis bem montados, nada de unidades meio desmontando ou com jeito de que estavam prontas há horas antes de vir para minha mesa.

O que vale como dica para quem vai comer sushi fora do Brasil e principalmente Canadá e Estados Unidos é que eles costumam a utilizar o abacate como parte das criações (como por exemplo na foto à esquerda, a peça grande é um Tiger Roll que possui salmão por fora e recheio similar ao Califórnia com o acabate ao invés de manga). Para quem não é grande fã fica um ponto de atenção.

Outra questão que difere do nosso sistema e pode tirar a alegria de alguns visitantes é a restrição de sashimi a uma lâmina de salmão grande e somente isso! Esqueça aquele monte de salmão ali para você se acabar, o foco da casa são os sushis e o sashimi é apenas um "adendo" oferecido entre as várias atrações gastronômicas da casa.

Ao final, já entupida de tanto comer me deparei com dois sabores pitorescos de sorvete: chá verde e feijão (como aquele dos recheios de doces japoneses). Suspirei e pedi uma bola de cada um para provar e que grata surpresa: eles estavam ótimos! Se alguém for se aventurar por lá, lembrem-se de deixar espaço para o doce que vale a pena.

Fazendo um balanço geral pode-se dizer que é um restaurante honesto, sem grandes luxos mas que atende a vontade de comer comida japonesa em quantidades grandes e a um custo razoável para os padrões do país. O custo médio lá é de 25 dólares canadenses (pouco menos de R$ 50,00) o rodízio e mais uma coca cola. Se você for em mais pessoas pode cortar os custos de bebida com porções em jarra bem mais baratas ou praticamente "gratuitas" como a opção de jarra de água por mesa.

Enfim, vale como experiência para quem estiver de passagem pelo Canadá e estiver com vontade de comer comida japonesa com preço bom e quantidades fartas! Esperamos que tenham gostado do nosso primeiro post internacional e que inaugura nossa série de novidades nesse segundo ano de blog!


Avaliação:
Nota:
Preço:


****

Ye´s Sushi Japanese Restaurant
103 King Street, West, Kitchener
Phone 519 568 7566
Dining Guide - Ye´s Sushi

sábado, 28 de novembro de 2009

Vou no Japa, Tanjoubi Omedetou!

Feliz Aniversário (誕生日おめでとう - Tanjoubi Omedetou) para o "Vou no Japa" que hoje completa seu primeiro ano!

Há 365 dias estávamos publicando neste espaço nosso primeiro post, convidando nossos futuros leitores a acompanhar as aventuras gastronômicas deste casal de origem nada nipônica pelos restaurantes "japa" de São Paulo.

Durante esses 12 meses muito ocorreu. Conhecemos restaurantes, pessoas, novos sabores e pratos, tivemos um hiato, retornamos (ainda que não com a velocidade que gostaríamos), recebemos elogios, críticas, sugestões, comentários, mensagens de apoio e até de cobrança pela demora nas resenhas e acreditem, curtimos CADA uma delas!

Fechamos este período acolhidos pelo carinho dos nossos leitores e felizes por ter ajudado a tornar o "momento japa" de muitos apreciadores mais gostosos.

E no já manjado esquema do "quem faz aniversário é a gente mas quem ganha o presente são vocês" preparamos duas resenhas para esta semana: a primeira é o já anunciado "Bônus" de uma experiência internacional em um japa Canadense! A segunda, seguindo pedidos de muitos, uma avaliação de um japa "roots" (leia-se no Bairro da Liberdade, a maior colônia japonesa do mundo fora do Japão)

Muito obrigado a todos, dos que nos acompanham desde o primeiro post até quem acaba de chegar. Sente-se à mesa, pegue um hashi e pode compartilhar do nosso bolo! A festa é de todos nós.

Equipe Vou no Japa