quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Yoshi! Um japa na roça... e com estirpe!

Sim, as férias foram boas, obrigado! Aos mais curiosos, passamos o Reveillon longe do litoral agitado paulista e das baladas nordestinas e bem próximos à natureza, na simpática cidade de São Franscisco Xavier, interior de SP. Aliás é lá que a aventura gastronômica de hoje acontece! Acreditem ou não, apesar de viver do turismo a cidade incrivelmente pacata não possui qualquer tradição ligada à atividade em questão, com exceção de poucos restaurantes mais "hype" e umas duas lojinhas de souvenirs. O segundo fato interessante é que devido ao baixo movimento natural nestes restaurantes, parte deles NÃO funciona durante a semana. Isso mesmo, quer comer lá agende o fim de semana!

O restaurante Yoshi não foge a esta regra, aberto apenas sábado e domingo, conta com pratos da cozinha asiática, englobando culinária japonesa, chinesa e, principalmente, coreana, todos preparados pelo chef Thompson Lee (foto ao lado, à esquerda), docente do curso de gastronomia nas faculdades Anhembi Morumbi e SENAC e proprietário do restaurante. Aliás essa outra profissão de Thompson ajuda a explicar também porque o Yoshi não abre durante a semana!
Ao chegar fomos recebidas pela própria mulher de Thompson, Geisa, que recepciona os clientes e comanda as garçonetes do local. Ao perguntar sobre "como funciona" o restaurante recebemos como resposta: "infelizmente não temos rodízio porque é complexo chegar até aqui com a quantidade de peixe fresco necessário". Achamos curioso por sequer termos inferido o sistema de rodízio, ou seja, devem perguntar muito se o restaurante possui esta opção!

Descartada a opção rodízio, investigamos o menu. Pratos com nomes curiosos e descrições apetitosas. Uma olhada nos preços e então caiu a ficha o porquê da pergunta do rodízio. O Yoshi não é um restaurante barato, em especial para os padrões de São Francisco Xavier.
Optamos por iniciar com o shitake, típico da região.

Serviço bastante lento para padrões paulistanos de avaliação e quando somos atendidos, surpresa: o fornecedor não havia entregue o shitake, assim tivemos de mudar o pedido para o shimeji. Lembrando, estamos no meio da "roça". Chega o shimeji, na chapa quente e acompanhado de batata palha sequinha. Além disso muito bem temperado e saboroso. A espera havia valido a pena!
Para acelerar o processo (já que percebemos que os pratos iam demorar mesmo) já solicitamos os pratos principais no momento da entrega do shimeji, optando pelo Tonkatsu (lombo de porco empanado acompanhado de arroz, salada e um molho bastante apimentado) e pelo Seichuan Beef (porção de carne refogada em molho picante acompanhado de legumes e arroz).

Chega o Tonkatsu: Porção generosa de lombo empanado bem sequinho, acompanhado de gohan coberto com gergelim e uma tigela com o molho picante. Realmente muito bom, carne bem saborosa molho bastante picante. Apesar de ser um apreciador de culinária mais "quente" advirto os menos tolerantes a solicitar a versão mais "light" oferecida pró-ativamente quando se pede o prato. E o gohan e a salda, mais insosos são excelentes acompanhamentos para a carne empanada e envolta no molho picante. É um dos pratos que se sente pena quando acaba!

E para quem não é grande fã de lombo ainda a opção do Chickenkatsu, preparado da mesma maneira, mas usando carne de frango. O casal que conhecemos na pousada optou por este (com o molho mais "light") e também aprovou. Aliás Wilson, sua sugestão de japa está anotada!
Chega em seguida então o Seichuan Beef, lembrando um yakissoba sem o macarrão e acompanhado novamente de gohan. Inicialmente não acreditamos que o prato se igualaria ao seu antecessor, mas felizmente logo Thompson provou que estávamos enganados. Prato novamente "quente", carne macia mas firme e ao ponto, legumes bem escolhidos para harmonizar o prato, contando inclusive com mini-milho, pouco usual! O acompanhamento com o gohan, menos temperado, torna o prato mais leve e contrasta os dois estilos. Apesar de caprichado conseguimos matar esta iguaria por inteiro também!

Já satisfeitos criamos coragem e topamos dar uma olhada no menu de sobremesas. Infelizmente a escolhida também estava em falta no dia.

Nosso veredicto: Culinária asiática de primeira linha e ambiente super agradável. O atendimento, apesar de bastante lento (lembre-se, estamos em São Francisco Xavier) se deve também ao preparo artesanal de cada prato, ou seja, não podemos comparar com a linha de produção dos rodízios tradicionais. A crítica principal aqui fica à falta de algumas opções do cardápido que podem decepcionar, como ocorreu com a gente.

Ainda assim o Yoshi é parada obrigatória para quem vai a São Francisco Xavier. E de qualquer modo a simpatia do casal Thompson e Geisa fazem valer a visita!



Avaliação:
Nota:
Preço:


***************************
Restaurante Yoshi
R. XV de Novembro, São Francisco Xavier, São José dos Campos - SP
(não tem como errar, é praticamente a única rua da cidade!)

3 comentários:

Tati Yumi disse...

Nossa!!
Adorei o blog de vcs!! vou visitá-lo sempre!!!
Obrigada pelas dicas!!!
Beijos

Erica disse...

Ei, já tá na hora de atualizar né!
bjos

Tati Yumi disse...

Ahh... lembrei de uma coisa... já foram no Matsuya??
Tem um rodízio mto bom!! é em torno de 24,90... perto do metrô Santa Cruz...
O salmão grelhado é mto bom!!!