quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Yoshi! Um japa na roça... e com estirpe!

Sim, as férias foram boas, obrigado! Aos mais curiosos, passamos o Reveillon longe do litoral agitado paulista e das baladas nordestinas e bem próximos à natureza, na simpática cidade de São Franscisco Xavier, interior de SP. Aliás é lá que a aventura gastronômica de hoje acontece! Acreditem ou não, apesar de viver do turismo a cidade incrivelmente pacata não possui qualquer tradição ligada à atividade em questão, com exceção de poucos restaurantes mais "hype" e umas duas lojinhas de souvenirs. O segundo fato interessante é que devido ao baixo movimento natural nestes restaurantes, parte deles NÃO funciona durante a semana. Isso mesmo, quer comer lá agende o fim de semana!

O restaurante Yoshi não foge a esta regra, aberto apenas sábado e domingo, conta com pratos da cozinha asiática, englobando culinária japonesa, chinesa e, principalmente, coreana, todos preparados pelo chef Thompson Lee (foto ao lado, à esquerda), docente do curso de gastronomia nas faculdades Anhembi Morumbi e SENAC e proprietário do restaurante. Aliás essa outra profissão de Thompson ajuda a explicar também porque o Yoshi não abre durante a semana!
Ao chegar fomos recebidas pela própria mulher de Thompson, Geisa, que recepciona os clientes e comanda as garçonetes do local. Ao perguntar sobre "como funciona" o restaurante recebemos como resposta: "infelizmente não temos rodízio porque é complexo chegar até aqui com a quantidade de peixe fresco necessário". Achamos curioso por sequer termos inferido o sistema de rodízio, ou seja, devem perguntar muito se o restaurante possui esta opção!

Descartada a opção rodízio, investigamos o menu. Pratos com nomes curiosos e descrições apetitosas. Uma olhada nos preços e então caiu a ficha o porquê da pergunta do rodízio. O Yoshi não é um restaurante barato, em especial para os padrões de São Francisco Xavier.
Optamos por iniciar com o shitake, típico da região.

Serviço bastante lento para padrões paulistanos de avaliação e quando somos atendidos, surpresa: o fornecedor não havia entregue o shitake, assim tivemos de mudar o pedido para o shimeji. Lembrando, estamos no meio da "roça". Chega o shimeji, na chapa quente e acompanhado de batata palha sequinha. Além disso muito bem temperado e saboroso. A espera havia valido a pena!
Para acelerar o processo (já que percebemos que os pratos iam demorar mesmo) já solicitamos os pratos principais no momento da entrega do shimeji, optando pelo Tonkatsu (lombo de porco empanado acompanhado de arroz, salada e um molho bastante apimentado) e pelo Seichuan Beef (porção de carne refogada em molho picante acompanhado de legumes e arroz).

Chega o Tonkatsu: Porção generosa de lombo empanado bem sequinho, acompanhado de gohan coberto com gergelim e uma tigela com o molho picante. Realmente muito bom, carne bem saborosa molho bastante picante. Apesar de ser um apreciador de culinária mais "quente" advirto os menos tolerantes a solicitar a versão mais "light" oferecida pró-ativamente quando se pede o prato. E o gohan e a salda, mais insosos são excelentes acompanhamentos para a carne empanada e envolta no molho picante. É um dos pratos que se sente pena quando acaba!

E para quem não é grande fã de lombo ainda a opção do Chickenkatsu, preparado da mesma maneira, mas usando carne de frango. O casal que conhecemos na pousada optou por este (com o molho mais "light") e também aprovou. Aliás Wilson, sua sugestão de japa está anotada!
Chega em seguida então o Seichuan Beef, lembrando um yakissoba sem o macarrão e acompanhado novamente de gohan. Inicialmente não acreditamos que o prato se igualaria ao seu antecessor, mas felizmente logo Thompson provou que estávamos enganados. Prato novamente "quente", carne macia mas firme e ao ponto, legumes bem escolhidos para harmonizar o prato, contando inclusive com mini-milho, pouco usual! O acompanhamento com o gohan, menos temperado, torna o prato mais leve e contrasta os dois estilos. Apesar de caprichado conseguimos matar esta iguaria por inteiro também!

Já satisfeitos criamos coragem e topamos dar uma olhada no menu de sobremesas. Infelizmente a escolhida também estava em falta no dia.

Nosso veredicto: Culinária asiática de primeira linha e ambiente super agradável. O atendimento, apesar de bastante lento (lembre-se, estamos em São Francisco Xavier) se deve também ao preparo artesanal de cada prato, ou seja, não podemos comparar com a linha de produção dos rodízios tradicionais. A crítica principal aqui fica à falta de algumas opções do cardápido que podem decepcionar, como ocorreu com a gente.

Ainda assim o Yoshi é parada obrigatória para quem vai a São Francisco Xavier. E de qualquer modo a simpatia do casal Thompson e Geisa fazem valer a visita!



Avaliação:
Nota:
Preço:


***************************
Restaurante Yoshi
R. XV de Novembro, São Francisco Xavier, São José dos Campos - SP
(não tem como errar, é praticamente a única rua da cidade!)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Duas vezes na mesma semana, sem reclamações !!!

Confesso que a primeira vez que recebi um release do Kiichi, fiquei meio ressabiada: um restaurante japonês moderninho, no meio do circuito de baladas (entre Dublin, Rey Castro e afins) com rodízio e funcionamento até alta madrugada... Será que a conjunção seria interessante ??? Seria o lugar uma muvuca pré-balada ??? Ou uma facada ???

Enfim, me despi dos preconceitos e fui lá em setembro com minha irmã numa quarta-feira... A casa não estava lotada e posso dizer que fomos bem servidas... E a boa surpresa: o custo era idêntico a média dos restaurantes desse tipo... Tempos depois fui lá com o Rubio e também gostamos bastante...

A única impressão ruim que nos impediu de classificar o lugar como escolha ideal foram dois fatores "musicais": um deles, o alto som do bar vizinho que, por vezes, dá uma atrapalhada nas mesas da entrada e externas do Kiichi e outra é o próprio som interno que, por vezes, fica alto demais (mas se você pedir pra baixar, como já fizemos, não rola stress e eles baixam tranquilamente).

Na semana passada foi aniversário do Rubio e escolhemos lá como local para celebrar o aniversário, porém, ao invés de optarmos pelas tradicionais mesinhas, escolhemos uma salinha privada que imita uma tradicional sala de jantar japonesa: tatames, mesinha baixa e aquelas portas de correr.
Você pode manter a porta fechada e saborear privativamente sua refeição, usufruindo de ar condicionado próprio (a ala calorenta vai adorar esse item!), além de poder ficar à vontade, sentadinho, sem sapatos e sem frescuras pra comer suas iguarias japonesas.

Quando você deseja ser atendido pelo garçon, basta apertar uma campainha (confira a fotinho dela e outras no nosso álbum). O esquema é interessante embora, confesso, à medida em que você começa a comer demais fica um pouco incômoda a posição. Acredito que a altura da mesa pudesse ser ajustada pra ficar um pouco mais agradável... Mas vale pela experiência de comer como nossos amigos do oriente comem !!!

Mas indo ao que interessa aos frequentadores do "Vou no Japa", vamos à avaliação das iguarias:
  • Temakis bem preparados. Muito bons. A única observação é que, comparando à alguns outros restaurante que já visitamos, ele é um pouco menor do que a média. Minha irmã - outra viciada em comida japa - que nos acompanhou em uma das visitas também fez essa observação logo que os temakis chegaram à mesa;
  • Ainda falando de temakis, na nossa última visita a garçonete - muito solícita, diga-se de passagem - nos ofereceu uma versão de shoyo com wasabi... Para quem gosta do ardor do dito cujo é uma ótima pedida, para quem não é tão fã, cuidado na hora de se servir, sob pena de tornar o seu temaki quase impossível de se comer, coisa que eu fiz quando me servi;
  • Na parte de pratos quentes eles oferecem o que os rodízios bons em geral também tem. Vale lembrar que aqui, repetição é permitida !!! O Shimeji do Kiichi é nota 10 e vale a repetição;
  • Ainda falando em quentes, a lula empanada é muito boa. Sequinha vem à mesa quente e em uma bela porção. Fomos na terça feira e nos deliciamos, quando passamos no sábado, eles estavam sem a Lula e a substituíram por um carpaccio de salmão, muito bom... Foi um substituto à altura;
  • Para quem gosta de guioza, vale a visita: além da versão tradicional, eles oferecem uma outra com forma de trouxinha e recheio de peixe, muito gostosa. Já o rolinho primavera, vem, algumas vezes recheado de queijo, o que pode decepcionar quem é fã da iguaria em sua forma original;
  • No quesito tábua, a variedade é razoável... Não espere os malabarismos de alguns rodízios com variedades mil e sushis mega sofisticados. A premissa do Kiichi é oferecer aqueles que a grande maioria do público aprecia com uma qualidade impecável. E realmente atende !
  • Em se falando de peixes, atum OK, peixe branco mediano, recomedamos mesmo o salmão. Vale ressaltar que das N vezes que visitamos a casa, em uma delas pegamos o salmão bem fibroso em uma das porções servidas. Isso não desmerece, de maneira alguma a casa, mas deu um quê de decepção no dia do ocorrido... Felizmente, na repetição o salmão voltou impecável !!!
  • Às formigas de plantão: aqui tem sobremesa !!! Pode-se escolher entre a tradicional sobremesa de rodízios, banana flambada com sorvete, só o sorvete ou a "sopa exótica", que nada mais é do que uma salada de fruta com sorvete de creme. Já provamos todas as opções mas a banana ainda é a melhor !!!

De quinta a sábado eles funcionam das 19h às 5h e nos demais dias das 19h às 24h. O valor do rodízio no jantar é R$ 35,00.

O serviço é muito atencioso e bem prestado, a comida é boa e vem rapidamente à mesa, as repetições são livres, eles oferecem cartão fidelidade (não esqueça de pedir o seu!), tem serviço de manobrista (R$12,00) pra evitar os transtornos de estacionar na região e o ambiente é aconchegante...

Em resumo, o Kiichi é uma boa opção se você estiver na região ou se bater uma vontade de comer japa em horários pouco convencionais.

Avaliação:

Nota:
Preço:

*******

Kiichi
http://www.kiichi.com.br/
Rua Ministro Jesuíno Cardoso, 201 - Vila Olímpia São Paulo - SP
(11) 3842.0440

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Vou no Japa no Orkut e no Twitter

Já que comemoramos 1.000 visitações, resolvemos ampliar nossos domínios pela web !!!

Agora também temos uma Comunidade no Orkut para receber mais indicações dos internautas de novos restaurantes para avaliar assim como para receber avaliações dos próprios membros da comunidade. Além disso, também temos um espaço lá para que pessoas que estejam fora de São Paulo possam nos indicar bons japas pra visitarmos pelo Brasil e mundo afora...

Aproveitando também a onda do Twitter ou pra quem preferir, micro blog, também acabamos de inaugurar um canal lá pra trocar idéias rápidas, receber dicas de novos lugares para visitarmos e avisarmos sobre novidades aqui no blog...


Esperamos encontrar vocês nos nossos novos canais de comunicação !!!

Equipe Vou no Japa

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Sen! (Que na verdade significa "MIL")


Estamos de volta. E qual foi nossa surpresa ao perceber que já ultrapassamos a marca de 1000 visitas!

Muito obrigado a todos os leitores que através de suas visitas e mesmo nos enviando sugestões, críticas e elogios ajudaram este espaço a se tornar cada vez maior e melhor!

Voltamos com força total em 2009 e continuaremos a saga pelos universo que são os restaurantes orientais em Sampa City. Venham com a gente!

Equipe Vou no Japa