terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Em recesso !!!

Pessoal que nos acompanha, ficaremos em recesso de 24/12 a 05/01.

Aproveitem para pensar em novos lugares para nos indicar. Já temos algumas promessas para o ano que vem. Entre as novidades para 2009, aguardem os posts de:

  • Kioku (Vila Madalena)
  • Sushi Shima (Perdizes)
  • Los Ruas (Vila Madalena)

Tenham todos um ótimo período de festas e um ano novo repleto de paz, amor, saúde, conquistas e $$$ no bolso (porque afinal de conta "ir no japa" custa, não é? rs).

Para finalizar, aproveitando o embalo de Ano Novo no qual muitas pessoas aproveitam pra fazer promessas e pedidos, uma história interessante da cultura japonesa.

Até 2009 !

Stella & Rubio

*****

Lenda do Daruma

O boneco Daruma, comumente encontrado em residências japonesas, é um símbolo de boa sorte. Ele representa o monge indiano Bodhidharma, fundador do zen-budismo na China, que perdeu as suas pernas após muitos anos de meditação em cima de uma pedra.O Daruma também é um símbolo de perseverança e esforço contínuo, pois por mais que se tente derrubá-lo, ele sempre volta à posição vertical. Seus outros nomes são Huto (“O velho que nunca cai”) e Okiagari-koboshi (“O pequeno monge que sempre se levanta”).

Existe a crença popular de que o Daruma ajuda a realizar desejos. Para tanto é necessário pintar um olho do boneco ao se fazer um pedido, e o outro , assim que este se realiza. É dessa forma que os olhos do Daruma finalmente se abrem.

Fonte: Site do Consulado Geral do Japão em São Paulo

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Uma pergunta que intriga...

Em primeiro lugar agradecemos aqui as 600 visitas, e-mails, comentários, elogios e toda sorte de contatos que temos recebido apoiando nossa iniciativa. Isso nos dá força, ânimo e pique de investir nas visitas aos lugares... Valeu, galera ! ;)

Mas a pergunta que colocamos aqui é algo que vem nos intrigando há tempos:

Por que a grande maioria dos restaurantes japas de rodízio só tocam como música de fundo flash back?

É realmente incrível como a Alpha FM e Antena 1 dominam esses recintos. Chegamos quase a pensar se alguma delas não é acionista de grande parte dos restaurantes japas que frequentamos tamanha é a incidência...

E lá se vão alguns dos hits que estão sempre "ao fundo" das refeições:

Hall e Oates - Maneater
Gazebo - I like Chopin
George Michael - Careless Whisper
Whitney Houston - One moment in time
Sade - Smooth Operator
Tears For Fears - Sowing The Seeds Of Love
Chris De Burgh - The Lady In Red
Bruce Springsteen - Streets of Philadelphia
Rick Astley - Cry For Help
B.J. Thomas - Raindrops Keep Falling On My Head
America - A Horse With no Name
Billy Joel - Just The Way You Are
Double - The Captain Of Her Heart
Erasure - A Little Respect
Gwyneth Paltrow & Huey Lewis - Cruisin
Roy Orbison - Pretty Woman
The Eagles - Hotel California
Tracy Chapman - Baby Can I Hold You Tonight
Billy Idol - Eyes Without A Face
Kim Carnes - Bette Davis Eyes
Oingo Boingo - Stay
Sonia - Listen To Your Heart
Sandra - Maria Magdalena
Marilion - Kayleigh
Bruce Hornsby & The Range - The Way It Is
Talk Talk - It's my life
Paula Abdul - Wash

Esses são só alguns dos hits pra elencar... mas tem vários outros que "fazem parte" já. Alguém quer colocar mais alguns na lista?

domingo, 14 de dezembro de 2008

Guro Sushi - Variedade, qualidade e preço justo

O Guro é um dos restaurantes que este casal frequenta há algum tempo, seja pelo fator geográfico (próximo aos antigos locais de trabalho de ambos), seja pelo fator qualidade da entrega x preço. Situado na região dos Jardins e possuidor de uma fachada "bacanuda" com deck em meio à Al. Lorena é o tipo de estabelecimento que a priori já assustaria por provavelmente impor um preço um tanto salgado a boa parte do público. Para dirimir esse provável preconceito logo na entrada posicionam-se os banners informando as versões mais acessíveis no almoço:
  • "festival" contendo alguns sashimis e sushis limitados (por R$19,90);

  • "buffet" padrão self-service com repetição à vontade de sushis diversos, misoshiru, yakisoba, sunomono, guioza e rolinho primavera mais um temaki ou 5 peças de sashimi e salada de frutas de sobremesa (por R$22,50);

  • rodízio completo contendo todos os itens da versão buffet, porém servidos na mesa, com repetição à vontade de todos os itens, inclusão da porção de shimeji e sorvete com calda quente de banana como sobremesa (por R$29,90).

Esta resenha será sobre a opção rodízio, porém pode ser espelhadas para as outras duas, levando-se em conta apenas os pratos contidos em cada uma.

Primeiro o ambiente: Apesar do deck externo aparentar "grandiosidade" a parte interna do restaurante é pequena e com quantidade limitada de mesas, o que cria uma certa fila de espera no horário de almoço. A localidade externa parece então uma boa pedida, porém em dias quentes fica bastante abafado e incômodo. A recomendação é: ainda é melhor ficar lá dentro...

Atendimento: garçons bastante corteses porém serviço um pouco lento. Além disso denota-se uma diferença de experiência entre alguns atendentes muito grande. Alguns são especialistas enquanto outros parecem não entender bulhufas de comida japonesa. Talvez estejam renovando o quadro, mas é algo que pesou um pouco na avaliação deste quesito. Felizmente não houve maiores percalços e nossos pedidos foram todos entregues perfeitamente, bastou um pouco mais de paciência na hora de explicar.

Bebida: um diferencial que pode não ser grandioso para todos mas ganhou pontos com a gente foi a disponibilidade de chá verde gelado (Feel Good e Leão). Usualmente só encontramos refrigerantes, que por serem gasosos te "enchem" mais rápido e reduzem o consumo do rodízio. O chá verde gelado é mais leve permite melhor apreciação do "todo". Além disso possuíam também chá preto Nestlé e Lipton.

Comida: começamos com os pratos quentes. Guioza frita bastante saborosa mas poderia estar um pouco mais sequinha. Rolinho primavera impecável e molho teriaki (agridoce) bem equilibrado e de boa consistência. Tempurás bem sequinhos e empanados, chegando a lembrar os antigos "mandiopans"(alguém lembra disso??), porém mais saborosos. Legumes sem muita inovação: cenoura, batata-doce, berinjela e couve-flor.

Misoshiru muito bom, bem quente, encorpado e caprichado na cebolinha e tofu.

Chega o shimeji, bastante saboroso e temperado em recipiente de melamina (como todos os quentes até então), porém numa porção pequena e sem direito à repetição. Ficou o gostinho de "queria mais..."

Temakis: Excelentes, como alga crocante, bem temperados e salmão com cebolinha (e sem maionese como solicitado) espalhados por todo o cone. Achamos tão bom que pedimos mais um como "saideira" no final. Vieram relativamente rápido.


Finalmente a tábua: ótima apresentação e boa variedade, incluindo como pontos fortes o "acelgamaki", não encontrado em muitos lugares, o jyo de salmão muito bem confecionado e o hot-roll sequinho e quentinho. Também solicitamos porções adicionais dessas delícias como repetição. Peixe branco (agulhão) saboroso mas não excelente como o peixe-prego do Koban, atum mediano (achamos um pouco escuro, aparentando congelado) e salmão ótimo, com gosto e consistência de fresco. Pedimos repetição deste último também! O tempo de entrega da tábua é um pouco demorado, mas a opção de especificar o quê e quanto se deseja em cada repetição garante que só venham os favoritos, sem falta nem desperdício.

Para finalizar é oferecida a sobremesa, sorvete de creme com calda quente de banana. Calda muito bem feita com banana em pedaços contrastando com o sorvete gelado, ótima pedida e um diferencial de outros lugares que oferecem simplesmente a bola de sorvete.

Veredicto: O Guro continua sendo um dos melhores custo vs. benefício da região dos Jardins, com boa qualidade e diversidade dos pratos , versões para todos os bolsos e gostos, concentrando em cada pacote ótimas propostas de valor. O serviço ainda fica devendo um pouco, em especial no quesito tempo mas a cortesia dos garçons alivia um pouco. E saindo satisfeitos do local lembramos porque continuamos voltando a este restaurante. Aprovado!



Avaliação:

Nota:

Preço:



***************************
Guro Sushi
Al. Lorena, 255 - Jardins
(11) 3052-5025

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Kazaguruma, honesto mas essa última vez deixou a desejar...

Como irmã mais velha, tinha que iniciar minha irmã mais nova (foto) em algum gosto. E posso dizer orgulhosamente que comida japa foi um deles. Se, de início, peixe cru parecia algo impensável, hoje temakis e sashimis são devorados sem medo pela senhorita Mariana.

Por essas e por outras, comemoramos o aniversário dela (com pequeno atraso) hoje. Como Maria trabalha na Vila Madalena e eu moro por lá também optamos por ir em algum restaurante daquele eixo. Dada a chuva que caiu de repente no final da tarde de hoje, optamos por ir a um restaurante já conhecido e também indicado aqui nos comentários, o Kazaguruma.

Com ambiente simpático e condizente com a temática japa dos pratos vide fotos no Flickr, comida de boa qualidade e bom atendimento o restaurante costuma a figurar entre as preferências dos moradores de seu entorno. O preço médio vai de R$ 22 a 28 (com sobremesa), o que torna o local mais atrativo.

Ocorre que, hoje, havia só minha mesa e mais uma no local e, por conta disso, aconteceram alguns deslizes que merecem ser observados como uma certa dificuldade no atendimento (ser vista e atendida pelo garçon) e falta de pratos (pedimos um tempurá que nunca chegou). Talvez fosse o dia...

Enfim, isso - a priori - não desabona de forma alguma o local já que além de bom custo benefício a comida é de primeira qualidade, a variedade da tábua é boa e os cortes de peixe também. Vale também experimentar o guioza bem recheadinho e temperado. E os hot rolls que chegam quentíssimos à sua mesa.

Fica a dica e aguardamos também reportes sobre o serviço. Afinal se o serviço estiver piorando, de nada adianta a qualidade impecável e lugar bom!


Avaliação:

Nota:
Preço:

*********

Kazaguruma
R. Purpurina 53 - Vila Madalena
(11) 3097-0418

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

A pedidos: Koban!

Antes de iniciar esse post gostaria de agradecer aos leitores "Marcelo" e "Rafasil" pela indicação. Conversava com a Stelline que seria bacana se atingíssemos massa crítica para começar até a atender às sugestões enviadas, e fico feliz em perceber que isso aconteceu muito rápido (vide post anterior)! E aqui está a primeira resenha baseada em uma indicação de vocês: o Koban.

Confessamos que a priori ficamos meio com o pé atrás quando junto com a recomendação veio a informação de se tratar de um bom rodízio "par quem tem bolso grande". O fato do restaurante ficar no Itaim (com outra unidade em Moema) e de "Koban" ser o nome da moeda oval segurada pelo Manekineko (o gato da prosperidade ao lado) também não ajudaram muito para criarmos coragem, mas por fim, após averiguar nossa saúde financeira decidimos ir em frente.

E qual foi nossa surpresa quando percebemos que o rodízio, apesar de não ser barato, também não é tão caro assim (R$ 37,90), ficando na mesma faixa do Kawa, avaliado anteriormente. Levemente aliviados chega a hora do que interessa: avaliar o restaurante!

A estrutura do lugar impressiona: ambiente externo para não-fumantes bem agradável, decorado por um aquário, bambuzinhos, vidro com água circulando e mesas de madeira. Mais para o fundo, a construção do prédio em forma oval (será imitando a Koban?) e com dois andares, sendo o superior reservado aos tabagistas. Tudo com paredes em vidro para manter boa iluminação e uma aparência clean e moderna. Para ver mais fotos do lugar e dos pratos visite nosso álbum no Picasa.

Nos sentamos ao "jardim" externo. Um pouco de espera e surge um garçon para nos atender. Recebemos as famosas toalinhas quentes em saquinhos lacrados (um "agrado" que representa um diferencial, já que nem todos oferecem).

Pedimos dois temakis de salmão SEM maionese e os pratos quentes (estes discriminados em quantidades). Após mais alguma espera surgem os temakis COM maionese e nada dos pratos quentes. Solicitamos a troca e eis que um dos garçons pró-ativamente vai investigar o motivo da demora: haviam perdido o pedido. Toca falar tudo de novo...

Este foi um dos pontos baixos da avaliação: apesar de bastante corteses de modo geral, os atendentes se mostraram bastante atrapalhados e usualmente lentos. Um deles inclusive conseguiu a façanha de derrubar uma garrafa de refrigerante na mesa as duas vezes que veio entregar a tábua.

Contratempos à parte começam a entregar o que pedimos, e aí o Koban brilha. Temakis com alga crocante e salmão bem picado, levemente temperado com cebolinha, muito bons e em tamanhos perfeitos (nem muito grandes, nem pequenos).

Os harumakis vieram fritos, cortados e bem sequinhos, com recheio justo. Acompanhando estes um par de guiozas que, contrário da maioria dos restaurantes, vieram cozidas (usualmente vêm fritas). Apesar de preferir sua versão menos saudável saboreamos nossas amigas preparadas no vapor e não nos arrependemos. Foi uma das guiozas mais bem temperadas que já comemos e com certeza figurará em nosso ranking de categorias.

Chegam os tempurás de legumes. Outra iguaria pela qual não sou aficcionado, mas que tembém cumpriu seu papel com louvor. Fritura sequinha e variedade ímpar de legumes, incluindo brócolis, couve-flor, berinjela, cenoura e vagem.

Shimeji surge bem servido na chapa quente e muito bem temperado.

Destaque especial para um prato que não costumamos pedir, o yakissoba, na minha opinião o melhor que já comi em qualquer restaurante japonês!
Finalmente chega a tábua. Um dos pontos altos é que toda a apresentação dos pratos é excelente. Tudo muito bem disposto e em louça com aspecto de nova. Sushis muito bem preparados e sashimi de atum, salmão e peixe branco (neste caso, peixe-prego) pra começar. Entre os uramakis uma agradável surpresa: o empanado de atum recheado de kani ficou na top-list, apesar de ser um dos poucos sushis "pouco-usuais" da tábua. Receitas conservadoras (nada de cream-cheese, manga, morango e flambados) mas muito bem preparadas. O que mais se ousou aqui foi a cobertura "crocante" nos nigiris e o uso de ovas para decorar os uramaki skins. Vale ainda mencionar que todos os peixes estavam com ótima cor, consistência, sabor e jeitão de fresquinhos.

Mais uma grata surpresa: sushi de ovas e sahimi/sushi de polvo inclusos no cardápio. Igualmente muito bem preparados e saborosos. Só não ganharam nota máxima nesta categoria porque sentimos uma certa reatividade em nos fornecer repetições deste quesito. Sabemos que são mais caros, mas se estão no rodízio com repetição livre não deveriam fazer cara feia quando pedimos por mais, pô!

Já satisfeitos ainda tínhamos de encarar o último desafio: a sobremesa, também inclusa no rodízio. Aqui mais um ponto positivo, a variedade: creme de papaia com cassis, banana caramelada ou sorvete. Ficamos com o primeiro, também bastante saboroso e com licor de cassis de qualidade, servido na mesa.

No último momento mais uma falha de atendimento: a conta veio errada (de fato mais barata), achamos válido praticar cidadania e apontar a falha. Após isso a conta veio errada mais duas vezes, além de demorarem para incluir o CPF na nota paulista.

O veredito: realmente em termos de qualidade dos pratos o Koban situa-se entre os melhores restaurantes que já estivemos. Ótima qualidade, peixe fresquinho, boa variedade sem inovar demais, repetição à vontade (apesar da resistência para os pratos mais caros), sobremesa generosa e mesmo ótimas entradas quentes. Um ponto de atenção para o responsável pelo restaurante é a capacitação dos funcionários. O estabelecimento tem tudo para estar no topo mas pequenos acidentes como estes, recorrentes, podem destruir a experiência de quem leva por exemplo a namorada para almoçar/jantar num lugar bacana. Isso não impedirá, porém que o Koban entre em nossa lista do "eu voltarei" e figure na lista de uma das melhores experiências japas gastronômicas deste casal!

Avaliação:
Nota:
Preço:



***************************
Restaurante Koban
R. Dr. Mario Ferraz, 449 - Itaim
(11) 3079-0109

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

300 acessos! Domo arigato gozaimassu!

Gostaríamos de agradecer a todos os leitores pelo atingimento de 300 visitas ao "Vou no japa" após pouco mais de uma semana oficialmente no ar! Saber que temos público nos motiva a continuar nossa missão de compartilhar com todos as experiências gastronômicas do mundo oriental!

Nosso sincero MUITO OBRIGADO!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Rodízio de Temaki, vale? Seahouse, uma boa surpresa ;)

Quando se fala em Jardins, é natural pensar em preços nas alturas, frescuras mil e inviabilidade de conciliar bom custo x benefício. E, confessamos, também temos a dificuldade em aceitar isso mas a Sea House e o Gurô (esse falaremos em um próximo post) figuram entre os melhores no quesito rodízio que andamos visitando ultimamente (coloco aqui “ultimamente” porque graças às dicas que temos recebido teremos o gostoso trabalho de explorar mais novos restaurantes logo mais).

A Sea House está nos Jardins, como já dissemos anteriormente... Por isso imagine um lugar hype, arrumadinho e estiloso (não tanto quanto o Kawa) e com um ar jovial (mas nem tanto como o Shimo no Itaim). Sua freqüência se faz por moradores das imediações – pessoas de meia idade com situação financeira acima da média – mas principalmente por galerinhas de moçada pré-balada ou numa vibe mais “hoje vamos fazer algo mais tranquilo”.

Logo na entrada, o balcão e grandes quadros com imagens imitando heroínas de mangá e, ao fundo do salão, um grande aquário com peixes coloridos como os personagens de “Procurando Nemo”.

Como já comentado, estamos falando de uma temakeria, então o rodízio é um pouco diferenciado: shimeji, guioza, harumaki, tempurá, misso shiro, yakissoba estão lá firmes e fortes. Depois vem uma tábua com variedades de sushi que pode ser repetida e 8 fatias de sashimi de salmão por pessoa (que não pode ser repetido). Essa restrição do sashimi aparentemente dava aquela impressão de “puxa os caras regulam, pô!”, mas de verdade, é melhor assim...Lembrando que são temakis que, por sua natureza são muito mais pesados e não se consegue comer muito, já recomendamos que você nem se entupa da entrada: guarde-se para as especialidades da casa e seja feliz!
Uma dica para quem gosta de comida apimentada é o spicy salmon ou tuna, ambos versões dos tradicionais temakis mas com tempero apimentado de Tabasco. Para quem agüenta pimenta é uma ótima pedida... Particularmente tenho para mim o salmão picante como meu predileto do momento!
Se você não tem pudores com fritura, outra delícia é o Ebi Fry, isto é, camarão frito, sequinho empanado com molho. Delicioso!Para vegetarianos de plantão há uma versão vegan só com legumes e outra só de shimeji. A Vegan é sem gracinha mas a de shimeji é show, vale experimentar... Um que tem um nome convidativo, carinha bonita mas é sem graça é o temaki hot dog: trata-se de um kani grande com batata palha... Eu diria, e vejam que não sou uma tradicionalista, que isso já chega a ser uma profanação muito grande da cultura do oriente. Batata palha é over, concordam?

Uma crítica fica por conta do serviço que é um pouco devagar em alguns momentos, o que pode gerar uma certa ansiedade e até frustração em grupos maiores. E, se você pensa em dar uma baixada no seu vale refeição, até a última visita que fizemos lá não estavam aceitando, pelo menos no jantar.

Enfim, vale como experiência e para sair do “esquema tradicional” de rodízios: come-se bem, vai-se a um lugar bonito numa região legal e paga-se um preço justo (rodízio varia entre R$ 28 a R$ 33).


Avaliação:

Nota:
Preço:


***************************
Sea House (Unidade Lorena)
Alameda Lorena, 1267 - Jardim Paulista
3064-7798

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Flying sushi, quase um Habib´s japa...

Embora muita gente já leia esse post com a conotação negativa sobre o Habib´s, eu peço que elas deixem o preconceito de lado e continuem a leitura... Pra começar eu não tenho nada contra a tão mal falada rede árabe. Oras, não sei de onde as pessoas tiram que você paga R$ 0,59 na esfiha e quer que ela seja igual à do Cedro do Líbano... Aí não dá né? Se você paga menos e os caras produzem rápido e em massa a coisa é mais "simplona" mesmo...

E aí que nos deparamos com o Flying Sushi: eleito pelas comunidades de orkut de comida japonesa BBB (Boa Bonita Barata) como uma ótima pedida! Diante dessa referência e do website nos prometendo um rodízio honesto por R$ 29,90 com repetições ilimitadas não tinha como não testar.

Embora logo mais ambos se tornarão habitantes do Morumbi, resolvemos deixar a pomposa unidade do bairro de lado e prestigiar (?!) a minúscula unidade da Faria Lima. Imagine 5 mesinha pequenas num segundo andar... Pois bem, é isso !!!

Brincamos com a sorte: a loja fechava as 23h impreterivelmente ( e anunciado por umas 3x pela atendente) e chegamos às 22h30 com a esperança de provar o rodízio full... Um clima de incerteza pairava cada vez que pedíamos algo e a moça nos olhava com aquela cara de "meu, o restaurante vazio e agora chegam esses dois, pqp!".

Mas foi eficiente: conseguimos provar todas as iguarias, sem testar a repetição, mas com a certeza de que já tínhamos parâmetros para avaliar. E vamos às percepções:

  • Para quem quer luxo, esqueça: nada de louça japonesa estilosinha e o seu recipiente de colocar shoyo é descartável mesmo;
  • Maior variedade do mundo na tábua de sushi-sashimi: esqueça, o forte é o basicão mesmo !!!
  • Temaki de camarão: um ponto a favor ! Bom temaki pra fugir do habitual salmão, valeu a pena provar ;)
  • Bolinho de peixe: além dos tradicionais fritos dos rodízios, vulgo harumaki e guioza, o Flying tem um bolinho de peixe levinho, sequinho e gostoso !
  • Banana caramelada de sobremesa: pra sair da habitual banana flambada com sorvete de 9 entre 10 rodízios, aqui eles inovam!
Como veredito: se você quer um atendimento mais premium, silêncio no ambiente, sushis gourmet, ser mimado e tudo mais não recomendamos. Agora para o dia em que dá vontade de comer japa sem gastar fortunas e honestamente, pode ir sem medo de ser feliz !

Avaliação:
Nota:
Preço:

***************************

Flying Sushi - Unidade Itaim (consulte o site para ver outras unidades)
Av. Brig. Faria Lima, 4091
Fone: 3845-8000